Visão Geral

O atual cenário econômico traz com ele novas demandas de qualificação. As empresas estão cada vez mais exigentes, estão realizando cortes, mantem apenas aqueles que melhor se enquadram nas políticas de sustentação da empresa e contratam só os melhores.

A fluência em inglês é um dos divisores. E a metodologia exclusiva da Optimum e suas tecnologias também se tornam divisores de água em um mercado onde ensinar um segundo idioma se tornou uma máquina de venda de livros desconexos.

A Optimum desde 2010 customiza cursos completos para o mercado corporativo e acompanha essas tendências. Em 2016, o foco será entregar programas de inglês personalizado de baixo custo para recolocação profissional e especializacões para os profissionais atuantes.

A maior parte das pessoas sai dos cursos de inglês demonstrando pouca aplicabilidade do idioma. Mesmo após horas de estudo e após um volume significativo de investimento, muitos não conseguem utilizar o inglês como uma ferramenta eficiente de alavancagem profissional, ou mesmo de utilidade pessoal. E por que isso acontece? Inapetência dos alunos? Não. O problema está na abordagem em ensinar sobre a língua e não na preocupação em ensinar como aprendê-la e ser tornar fluente.

Os cursos de inglês convencionais tendem a unir em uma mesma classe pessoas com interesses e perfis variados e o resultado é que ninguém acaba sendo plenamente atendido. O resultado são cursos extremamente monótonos e massificados, que pecam no quesito mais importante: atender às necessidades reais das pessoas.

Com o intuito de quebrar esse círculo vicioso – que muitas vezes agride até mesmo a autoestima dos alunos -, a Optimum desenvolveu o conceito de “Selective Approach”, ou Abordagem Seletiva. Nele, os interesses do aluno são colocados em primeiro plano e, a partir daí desenvolve-se toda a parte “mecânica” da linguagem, ou seja, a sua arquitetura.

O método é embasado cientificamente, conforme detalhado abaixo, e cria um sistema motivacional e otimizado, no qual o ganho de confiança do aluno é imediato e no qual há grande satisfação do professor, o que é essencial para a qualidade do ensino.

Otimizar o aprendizado de um idioma não é apenas uma questão de aprender mais e melhor no menor espaço de tempo possível. É uma questão de agregar valor a todas as esferas que abrangem o processo de ensino, da metodologia à afinidade de interesses com os colegas de classe, sem nunca perder de vista a constante ênfase na aplicabilidade prática daquilo que se observa e se absorve. Isso é otimizar o aprendizado de fato.

A maioria dos cursos de inglês, no entanto, foge desse conceito e massifica a informação, tratando os alunos como um grupo homogêneo e nivelando geralmente por baixo a transmissão do conteúdo. Wilson C. Monteiro

Pesquisas recentes feitas com alunos de cursos de idiomas revelam a rápida perda de interesse dos alunos, à medida que seu processo de aprendizagem se torna apenas uma rotina monótona e com um gasto financeiro e intelectual não condizente com o ganho profissional e com a satisfação pessoal que o aprendizado de um novo idioma pode proporcionar.

Pondo em cheque essa realidade e após um profundo processo de pesquisa e de análise didática e linguística, a Optimum Technical Language trouxe um conceito 100% inovador, no qual o aluno fica mais e mais motivado a estudar conforme o curso progride, pois os resultados práticos são sentidos instantaneamente. Mágica? Não, trata-se apenas de um método inteligente e eficiente, que foi batizado pela Optimum de “Abordagem Seletiva”, ou “Selective Approach”.

Esse sistema é baseado no interesse profissional do aluno e na aplicabilidade da língua no ambiente de trabalho e foi criado a partir da mescla de técnicas de várias áreas de estudo, como audiolingual, mnemônico e a neurolinguística.

Como o inglês se tornou peça chave para o sucesso profissional, o aprendizado também deve se tornar profissional e por isso a abordagem seletiva única da Optimum leva o estudo da língua inglesa para um novo patamar.

Seguindo essa lógica, a Optimum dividiu seus cursos em 5 áreas básicas: Petróleo & Gás, Hotelaria e Turismo, Negócios, Medicina e Jurídico, além de aulas de português para estrangeiros, que visam selecionar grupos de alunos com interesses profissionais comuns e com isso transmitir um conteúdo técnico e dinâmico.